Nômades digitais: quem são, onde vivem, do que se alimentam e qual é a sua jornada?

O desenvolvimento tecnológico e o surgimento da internet promoveram mudanças significativas na sociedade, alterando, por exemplo, a forma de trabalho, ou melhor, fazendo surgir um novo modus operandi conhecido como nomadismo digital.

Este artigo foi publicado originalmente no portal We Do Logos.

Em poucas palavras, podemos dizer que se trata de um fenômeno no âmbito digital que tem, a cada dia, se fortalecido e ajudado muitas pessoas em suas carreiras, fazendo com que elas não só se tornem bem-sucedidas, como também tenham um bom rendimento financeiro.

Ficou interessado para conhecer mais a respeito dessa expressão que hoje faz-se presente na vida profissional de muitas pessoas ao redor do mundo? Então, continue lendo este texto!

Quem são?

O nomadismo digital é uma expressão utilizada para se referir aos profissionais que trabalham online e, portanto, não se fazendo necessário à sua presença em escritórios, nem em uma cidade ou em um país em especial.

Eles podem trabalhar de qualquer parte do mundo, desde que disponham de um dispositivo móvel (computador pessoal, tablet, smartphone, ipad etc.) e uma boa conexão à internet.

Podem, assim, realizar seu trabalho de lugares como aeroporto, praia, hotel, bar, entre outros. Rompem com o modelo tradicional de trabalho, em que a presença do profissional é algo necessário, e fortalecem um modus operandi baseado na liberdade profissional e criativa, sendo possível, assim, atender a clientes de diversas partes do mundo.

Assumem formas de: produtor de conteúdo digital, consultores de serviços diversos, advogado, músico, professor de matérias básicas etc.

Onde vivem?

O nômade digital pode viver em qualquer parte do mundo, não existindo qualquer regra quanto a isso. Podem estar, por exemplo, nos Estados Unidos, Canadá, Tailândia, Brasil e cidades que fazem parte desses países.

A única regra é a seguinte, conforme já destacamos: dispor de um equipamento móvel e uma boa conexão à internet. O lugar é o de menos, contanto que tenha isso.

Se observar bem, hoje, países como os Estados Unidos e Brasil já estão atentos a essa mudança, de olhos bem abertos, tanto que o número de coworkings ou Starbucks tem crescido nesses lugares nos últimos anos.

Coworkings ou starbucks são ótimas opções de espaços para trabalhar, realizar reuniões profissionais e socializar. São ambientes que recebem dezenas de profissionais remotos, que estão ali, muitas vezes, apenas de passagem e precisam concluir uma tarefa.

Do que se alimentam?

Os nômades digitais criam sua própria rotina, ou seja, são eles que estabelecem as regras e isso inclui a sua alimentação. Possuem, pode-se dizer, uma alimentação rica e nada fixa, visto que dialogam com diversas culturas, culinárias e povos, muitas vezes.

Por frequentar inúmeros lugares em sua jornada profissional nada convencional, como aeroporto, hotel, starbucks, praia, faculdade, biblioteca, cafés, entre outros, têm contato com o maior número de refeições possíveis, dando-se assim o luxo de experimentar tanto culinárias convencionais como inusitadas.

No entanto, uma bebida é certa em suas passagens pelos mais variados locais: o café. O café é um dos seus principais amigos e parceiros na hora de prestar e desenvolver seus serviços. Ele está sempre ali, ao lado, esperando para ajudar de alguma forma, nem que seja estimulando a mente e expulsando o cansaço mental.

Qual é a sua jornada?

O nômade digital não tem uma jornada fixa, como os trabalhadores tradicionais. É ele que faz sua própria jornada, levando em consideração, sobretudo, as demandas de trabalhos, bem como os prazos que possui pra entregá-los.

Com isso, ele possui certa liberdade profissional e criativa. Pode, por exemplo, estar desenvolvendo um trabalho agora e, daqui a duas horinhas, estar na praia curtindo não só o mar, mas uma água de coco, ficando bem à vontade.

Ainda que o nomadismo traga alguns privilégios, a exemplo do que citamos anteriormente, ele exige disciplina e capacidade de gestão.

Disciplina porque é o nômade digital o seu próprio “chefe”. Assim, precisa disso para se comprometer e entregar as atividades aos clientes no prazo certo, sem, portanto, deixá-los na mão. Capacidade de gestão porque é preciso gerir a demanda de trabalho, desenvolvendo para isso um planejamento e calendário com os prazos definidos para cada atividade a ser entregue.

Os nômades digitais são, acredita-se, parte de um fenômeno que só está começando, mas que tende a se fortalecer ao longo dos anos.

Então, agora que sabe quem são os nômades digitais, onde vivem, do que se alimentam e qual é a sua jornada, nunca passou pela sua cabeça em se tornar um? Talvez esta seja a sua chance para alavancar sua carreira e ganhar um extra!

Este artigo foi publicado originalmente no portal We Do Logos.

Continue aqui na Universidade da Mudança. Acesse o blog completo e veja outros conteúdos relacionados a mudança.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

COMO ORGANIZAR PALESTRAS?

Este e-book traz tudo que você precisa saber para organizar palestras de sucesso em eventos corporativos.
Se você quer garantir o sucesso de seu evento, então baixe este E-book.

>>BAIXAR O E-BOOK